TeaM KingS
[center]Ola Convidado, seja bem vindo ao TeaM KingS !

Nós temos tutoriais sobre o WarCraft World Editor: se você tiver alguma duvida pode perguntar que os moderadores ou membros experientes vão lhe ajudar.

Para melhor utilizar nossos recursos é extremamente recomendado que esteja logado em nosso fórum e que leia o nosso regulamento oficial.

Também temos fóruns sobre DotA AllstarS, com guias, estratégias, e muito mais!



---The West---

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

---The West---

Mensagem por TAKA.Helio em 2011-10-23, 20:48












America, 1887

O
Texano termina a sua jornada. Depois de dedicar toda a sua vida para
colocar bandidos na cadeia, o detetive Dalton Rangera é encontrado morto
do seu escritório, provavelmente assassinado por um desses bandidos.
Agora, eles tinham muito que comemorar, pois a pedra no caminho deles
finalmente tinha sido destruída. O velho Dalton era um gênio,
considerado por muitos como o melhor detetive da América.

Não chame muito a atenção, dizia ele para si mesmo, sempre que solucionava um crime. Nunca chame atenção.
Dalton sabia que, quando uma pessoa se eleva demais, acaba se tornando
um alvo vivo. Ainda mais ele, que era odiado justamente pelos seus
feitos. Dalton, agora morto em cima de uma mesa, deixa no mundo uma
fazenda velha, sua moradia durante toda a vida, e seu filho, Rodriguêz
Rangera, um jovem de 20 anos que acompanhava seu pai no difícil
trabalho, que era ser detetive. O garoto era incrivelmente inteligente,
um verdadeiro "filho do seu pai". Apesar de ter ajudado o pai em
diversos casos, Rodriguêz não gosta de ser detetive, e se considerava
"preso" ao seu pai, pois era obrigado a acompanhá-lo.

Com a morte de Dalton, Rodriguêz finalmente estava livre para fazer o que mais gostava: Viajar... E arrumar confusão.
Eu finalmente sairei dessa fazenda velha.
O
Jovem Rodriguêz tentou solucionar o caso do seu próprio pai, morto no
escritório, mas este caso em particular parecia impossível.
Não existe crime perfeito, pensava.
Agora
Rodriguêz queria sair da velha fazendo para conhecer o mundo, lugares
onde nunca esteve, tal como o sonhado Grand Canyon, e talvez até ganhar
fama.
A vida no "Faroeste" era difícil: Quase todo cidadão andava
armado e a principal fonte de renda era o gado. E Rodriguêz não tinha
nenhum. Não existia possibilidade dele continuar naquela fazenda, e era
exatamente o que ele estava fazendo.







A FAZENDA DOS RANGERA
era enorme, tinha um grande curral, celeiros, mas não tinha animais.
Dalton, apesar de gênio, também era viciado em poker, e acabava perdendo
toda a fortuna que ganhava resolvendo casos. -Ótimo detetive, péssimo
blefador, era o que diziam seus companheiros. Rodriguêz, ao contrário de
seu pai, passava a maior parte do tempo treinando com a sua Colt 45,
uma das pistolas mais famosas do Oeste, que juntamente com a Winchester
Model of 1873, formavam o pequeno arsenal do jovem Rangera, que
persistia em atirar em uma pequena lata de feijão que botava em cima de
um pedaço de tronco, a uma distância de 40 metros.

Rodriguêz
tinha uma mira perfeita, e já tinha até conseguido acertar um caroço de
feijão que tinha colocado em cima da latinha, e sem derrubá-la,
despedaçou o caroço de feijão, mesmo estando a uma longa distância, e
com uma arma que não era lá uma beleza no que se diz respeito à
precisão. Eram memórias que subiam a sua cabeça quando estava arrumando
as malas para sair da fazenda. Em cima de uma mesa de madeira, tudo o
que ele iria precisar: A Colt 45, uma faca com cabo perto e vermelho,
que tinha ganhado de um índio Apache, e o cinto de couro onde botava a
sua arma.
É tudo o que tenho. Não vejo a hora de sair daqui.








Rodriguêz
se veste, pega uma pequena maleta de couro com algumas roupas, e todo o
seu dinheiro, 50 dólares, e imediatamente se dirige para a porta da
fazenda.
Ele estava saindo com a certeza de que iria sentir muita
falta daquela detestável fazenda, parece que estava prevendo o que iria
acontecer com ele. Nem um cavalo eu tenho. Terei que ir de trem.
Sem olhar para traz, Rodriguêz vai diretamente para a estação de trem,
onde compra um bilhete de 10 dólares, sem destino definido. Apenas pra longe da fazenda. Só me restam 40 dólares.



Fim do primeiro capítulo.

-------------------------------------


Notas: Os trechos escritos em itálico (letra "deitada") definem o pensamento do personagem;
Escrito, editado, criado e desenhado por Hélio Ramos (Helio.R);
Um capítulo novo toda semana, não deixe de conferir;
2011, Todos os direitos Reservados.
Site oficial: www.digitalart.forumeiros.com
Próximos capítulos serão postados lá, exclusivamente



MODERADOR MALVADO MODE ON [X]  OFF [  ]
--Vacilou o bicho pega--

TAKA.Helio

Número de Posts : 1644
Data de inscrição : 19/06/2011
Reputação : 63 Pontos : 13064

Warning Necropost
0 / 1000 / 100


http://www.digitalart.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: ---The West---

Mensagem por TAKA.Helio em 2011-10-23, 20:52

Aviso: A formatação saiu totalmente errada, se você quer ver o post na íntegra, com a formatação certa, por favor Clique aqui.
To sem paciência pra editar tudo isso denovo.



MODERADOR MALVADO MODE ON [X]  OFF [  ]
--Vacilou o bicho pega--

TAKA.Helio

Número de Posts : 1644
Data de inscrição : 19/06/2011
Reputação : 63 Pontos : 13064

Warning Necropost
0 / 1000 / 100


http://www.digitalart.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum